Estudo do caso como vai a ibm?

O PRINCÍPIO DA ENTIDADE O Princípio da Entidade versa justamente sobre o cuidado ou sobre a relevância em entender que as “coisas” da empresa não devem e não podem ter relação com as “coisas” dos donos ou sócios. Mas o que se vê é totalmente o contrário. Exemplo: alguns administradores fazem retiradas do caixa da empresa para pagar dívidas pessoais. Isso é inaceitável! Essa prática deve ser banida, pois o controle e organização da empresa serão afetados, podendo onsequentemente ocorrer até mesmo o fechamento da mesma.

Portanto, a Pessoa F[sica deve ser separada da Pessoa Jurídica, caso contrário, certamente problemas na gestão da empresa surgirão. ar 2 O PRINCIPIO DA CON Este princípio diz que liada e escriturada na suposição de que inta. As Demonstrações Contabeis são estáticas, não podem serdesvinculadas dos períodos anteriores e subsequentes, a vida da empresa é continuad Swlpe to vlew next page ontinuada going concern, até circunstância esclarecedora em contrário.

Seus Ativos devem seravaliados de acordo com a potencialidade que têm em gerar benefícios futuros para aempresa, na continuidade de suas operações, e não pelo valor que se poderia obter sefossem vendidos no estado em que se encontram. Ex: Quando uma instituição é criada (seja empresa, ONG, etc) ela se considera como de Duração Ilimitada. Se ela se conseguir manter-se nesta forma temos o princípio da continuidade plicado pois haverá contabilidade enquanto existir empresa.

O mesmo para empresas de temporada. Uma empresa abre pra funcionar apenas nos 3 meses do verão. Ela está definindo sua continuidade (3 meses) logo só haverá contabllidade neste período. Quando da falência também tempos o princípio aplicado. Assim que a empresa é fechada encerra-se a contabilidade demonstrando que, com o fim do uso do princípio da continuidade, não há mais atividade contábil na mesma.

Leave a Reply:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *