Canais de distribuiçao

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO ora to view nut*ge CANAIS DE DISTRIBUIÇAO variaveis do marketing como, seja o preço de venda ao consumidor final, a qualidade do serviço associado ou mesmo alguns componentes da comunicação. Pelo contrário, se optar pela venda dlreta, consegue o total controle sobre as variáveis do marketing referidas, mas terá uma maior dificuldade em chegar a um mercado com a mesma dimensão. 2. pos de Canais de Distribuição. Colocar os produtos no lugar certo quando os consumidores se dispuserem adquiri-los varia conforme o público-alvo e o tipo de produto comercializado ara isso acontecer podemos usar os seguintes recursos de distribuição: Canais Verticais, Canais Híbridos e Canais Múltiplos. pois eles não precisam investir na formação dos pontos de venda e concentram seus recursos financeiros na produção. [pic] 2. Canais Múltiplos Visa colocar o produto no maior número possível de pontos de venda e é adequado para produtos de alto consumo, de compra freqüente e preços unitários relativamente baixos. Disponibilizar o produto onde os consumidores esperam encontrá-lo é fundamental para bens de conveniência, pois é muito comum consumidor trocar de marca caso não encontre aquela marca desejada. Os pontos de venda podem ser atingidos por equipes de venda dos próprios fabricantes, por representantes comerciais ou atacadistas distribuidores.

Muitas organizações utilizam equipes próprias para atender grandes varejistas como hipermercados e redes de supermercados. Por outro lado, o restante do varejo pode ser coberto via atacadistas elou representantes comerciais sem vínculo empregatício. PAGF3ÜFd inexplorados ou de menor potencial (exportações). – Abre os mercados de exportação com custos mínimos. Fornece oportunidade de testar a aceitação dos produtos nos mercados / clientes escolhidos, a baixos custos. permite o pagamento imediato dos produtos, sem ter que esperar pelo comprador final. – Atrai um sistema mais forte de distribuição através do fornecimento de uma linha variada de produtos complementares e não concorrenciais. – É útil como complemento do departamento de exportação da própria empresa. – Serve para introduzir novas linhas de produtos através de novos canais ou em mercados diferentes dos cobertos pelo departamento e exportações. – Fornece, em alguns casos, armazenamento nos mercados e serviços de venda. proporciona contactos relevantes, nos casos em que as compras estatais são importantes. Em contrapartida, os principais aspectos negativos resultantes da utilização de intermediários, em vez do desenvolvimento de uma força de vendas própria são: Corta significativamente as margens de lucro. – Dificulta o contato direto com o consumidor e limita a informação a posteriores do mercado, pela introdução de um elo extra na cadeia de distribuição. Reduz a flexibilidade e controle sobre o preço, promoção, serviço e distribuição do produto. Limita o apoio ao produto se o intermediário lidar com produtos concorrentes ou representar muitos produtos. – Dificulta a identificação da marca nos mercados de exportação. – Dificulta o domínio direto das operações de exportação pelo fabricante. Conduz ao desinteresse do intermediário em fazer crescer as vendas, a partir de certos níveis de faturamento, quando sente que o fabricante está prestes a tomar conta direta da exportação nesse mercado.

Leave a Reply:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *