Relatorio de aula pratica: transporte de membrana

[pic] UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CICNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE FARMÁCIA ADRIA K. S. CORRÊA HELLEN C. O. SANTOS ILLGNER BARRETO KARINE MOREIRA GOMES LUCAS RIBEIRO BRIT ar 8 SAMARA DE OLIVEI to view nut*ge RELATORIO DE AULA PRATICA DE FISIOLOGIA TEMA: TRANSPORTE DE MEMBRANAS E LISE DE HEMÁCIAS BELÉM – PARÁ 2012 Concentração, Solução. 1 INTRODUÇÃO As células constituem o corpo e o seu papel pode ser o mais variado para que o funcionamento deste seja eficiente. Para que isso ocorra, elas possuem desde tarefas simples ate as mais especializadas dentro do organismo.

A organização das células ? de suma importância para que estas consigam exercer a sua função corretamente e as membranas são essenciais para esta organização, tanto na compartimentalização interna das células como no contato com as demais células. Esses envoltórios devem ter características de isolar o interior da célula do meio externo e propiciar trocas de substâncias com este meio. Sem trocar substâncias com este meio externo a célula não pode se manter viva, pois precisa receber nutrientes e oxigênio e eliminar resíduos do seu metabolismo.

Este envoltório é a membrana plasmática onde sua principal função é a de eletividade (barreira). Denomina-se fluido intracelular (FIC) o líquido que está dentro das células. Possui em sua totalidade um caráter negativo e para balancear possui também elevadas concentrações de potássio (K+). Já o líquido que está do lado externo das células, chama-se fluido extracelular (FEC) e contém abundância do soluto de cátion de sódio (Na+)_ Essas concentrações precisam estar em homeostase (manutenção da estabilidade) para o bom funcionamento celular.

Durante a aula prática de Fisiologia observamos a lise de hemácias (rompimento) através da coleta a fresco de uma mostra sanguínea de uma aluna voluntária e assim preparar tubos de ensaios com soluções salinas diferentes (isotônicas, hipotônica e hipertônlca) e o sangue coletado. O objetivo desta aula é analisar o comportamento celular em diferentes concentrações, o volume e a regulação dos líquidos corpo comportamento celular em diferentes concentrações, o volume e a regulação dos liquidos corporais e principalmente como funcionam os transportes através da membrana. MATERIAL E MÉTODOS 2. 1 — Material Utilizado: – Água – Cloreto de sódio – Kit de coleta de sangue (adaptador, agu has, álcool, algodão, tubos com EDTA) Lâminas de microscopia – Lamínulas – Microscópio óptico – Micropipeta – Pipeta de vidro – Ponteiras para micropipetas – Sangue coletado – Tubos de Ensaio 2. 2 — Metodologia: Ao início da aula, os alunos juntamente com a professora Lúcia Siqueira leram o roteiro da aula prática, cujo tema era transporte de membranas e lise de hemácias.

Após a leitura, a professora mostrou aos alunos as soluções salinas previamente preparadas, sendo uma hipotônica, outra isotónica e a última hipertônica. A primeira solução continha 2g de NaCl em 100ml, formando uma solução de 0,4% de NaCl. A segunda tinha 0,45 gramas, endo uma solução de de NaCl e a última tinha 1,5g de NaCl e formou uma solução de 3% de NaCl. As soluções foram preparadas pela professora antes do início da aula prática devido ao horário. Em seguida, a professora coletou em torno de 4ml de sangue da aluna Zilanda Reis (figura 1).

A técnica utilizada para a coleta de sangue foi por venopunção a vácuo. Por nao obter sucesso na primeira tentativa no braço es uerdo da aluna, tentou no braço direito e conseguiu realiza ensaio identificados como TI (solução hipotônica), T2 (solução isotônica) e T3 (solução hipertônica). E com o auxilio do icropipetador, tirou 10pm de sangue e colocou em cada um dos três tubos de ensan (figura 2 e 3). Figura 2: Micropipetador com IO micrômeros de sangue sendo colocados em um tubo de ensaio com solução salina. PiC] Figura 3: Tubos de ensaios contendo sangue e soluções salinas de diferentes concentrações. prepararam-se, então três lâminas de vidro com uma gota de cada solução e por cima, colocaram-se as lamínulas (figura 4). Todo esse processo foi realizado pela professora Lúcia que depois preparou o microscópio para que os alunos pudessem observar as mudanças que ocorriam nas membranas das hemácias uando colocadas em cada um dos tipos de solução. Figura 4: Lâminas preparadas com as soluções de sangue e NaCl em diferentes concentrações. RESULTADOS Tabela 1: Resultados encontrados após observação das lâminas em microscópio óptico. Soluções H Cias I Solução Inalteradas ISOIução II Hemólise ISOIução III Crenação ou Plasmólise Meio Isotônico Hipotônico Hipertônico PAGF sua morfologia e aparência exatamente iguais quando encontradas no sangue (figura 5). Mas ao serem colocadas em meio hipotônico e hipertônico, passam por dois processos antagónicos. No meio hipotónico, sofrem hemólise, ou seja, corre o rompimento das membranas dessas hemácias, liberando hemoglobina, devido à quantidade excessiva de água (figura 6).

Já em meio hipertônico, elas sofrem cremação ou plasmólise que é o processo de contração devido à perda de água (figura 7). Figura 5: Hemácias em meio isotônico. Figura 6: Hemácias em meio hipotônico. Figura 7: Hemácias em meio hipertônico. 4 DISCUSSÃO A primeira aula prática, com o tema de transporte de membranas, nos proporclonou um maior aprendizado sobre a fisiologia da célula, podendo concluir, a partir das experiências realizadas. a importância da membrana plasmática no meio elular. Esta, que é a estrutura que delimita a célula, permitindo manter a sua individualidade em relação ao meio externo.

Atualmente, o modelo que explica melhor o comportamento de membranas e e mais aceito, e o modelo do mosaico fluido, proposto por Singer e Nicholson em 1972, que diz que “A membrana é uma estrutura dinâmica, fluida, basicamente constituida por uma bicamada de fosfolip(dios e por dois tipos de proteínas especificas”. A membrana plasmática, como se sabe, constitui uma barreira seletivamente permeável, com sistemas de transporte que regula a composição iônica e molecular do meio intracelular, ontrolando também os fl ações entre as células. lou facilita a passagem de certas substancias, e dificulta ou impende a passagem de outras. Podemos chamar de movimentos transmembranares, o transporte realizado através da membrana plasmática. Em relação à aula prática, é importante relembrar o conceito de osmose, um dos tipos de transportes realizados pela membrana. A osmose consiste no movimento da água (solvente) entre meios com concentração diferentes de solutos separados por uma membrana semipermeável. É um processo físico importante na sobrevivência das células.

A água se movimenta sempre de um meio hipotónico para um meio hipertônico com o objetivo de atingir a mesma concentração em ambos os meios. Anallsando a prática realizada, podemos concluir que as hemácias coletadas quando em contato com a solução l, não sofreram alteração, pois o meio estava isotônico, ou seja, não tinha um meio mais ou menos concentrado que outro. Sendo assim, não ocorreu o movimento da água entre os meios, fazendo com que as células continuassem inalteradas.

Quando as hemácias entraram em contato com a solução II, elas foram colocadas em meio hipotônico, fazendo com ue o meio intracelular estivesse mais concentrado que o melo extracelular. Como o liquido extracelular estava menos concentrado que o intracelular, a célula absorveu água, ficando turgida e causando a hemólise. E por último quando as células analisadas entraram em contato com a solução III, foram colocadas em um meio hipertônico, ficando com o meio intracelular menos concentrado que o meio extracelular.

Dessa forma, a célula se desidratou, perdendo agua. Esse fenômeno é também denominado de plasmólise e a célula fica então, plasmolisada. 5 PERGUNTAS 1) Qual a morfologia da hemácia uando colocada em cada eio? PERGUNTAS 1) Qual a morfologia da hemácia quando colocada em cada melo? No meio isotônico (solução l), a morfo ogia das hemácias não são alteradas em relação às suas originais. Quando colocadas em solução hipotónica (solução II), as hemácias sofrem hemólise, ou seja, rompem-se.

Em meio hipertônico (solução III), perdem água e murcham, ocorrendo plasmólise. Isso ocorre porque a célula tenta se equilibrar com o meio externo. 2) Explique, sucintamente, os efeitos celulares observados nesse experimento. Na solução l, a célula e o meio estão em isotonia (equilíbrio), u seja, a velocidade das substâncias quem entram é a mesma das substâncias que saem. Na solução II, há o inchamento das hemácias até a hemólise, devido a entrada de água do meio extracelular na célula através da membrana plasmática, por osmose.

Na solução III, há cremação das hemácias, ou seja, é a retração do volume da hemácia por perda de água. Este fenômeno se dá quando a células é colocada em meio hipertônico, ou seja, quando o meio exterior é mais concentrado que o citoplasma. Por isso, a célula perde água por osmose. 3) Quais são os mecanismos de transporte de moléculas e íons través da membrana da célula? Osmose, transporte ativo, transporte passivo, difusão simples e dlfusão facilitada. 4) Explicar como são regulados o volume e a concentração dos líquidos corporais.

Acredita-se que os líqui lado da membrana através de membranas celulares tende a equalizar as concentrações nos dois lados na membrana e a intensidade da difusão da mesma é proporcional à área da membrana e a diferença de concentração da substância difusora nos dois lados da membrana. Algumas substâncias são muito insolúveis em lipídios e, contudo, podem atravessar a matriz lipídica por um processo hamado difusão facilitada, ou difusão medida por carreadores. Este é o meio pelo qual diferentes açúcares atravessam a membrana. CONCLUSAO Ao fim do estudo, percebeu-se de maneira prática o fenômeno de lise nas hemácias, comparando os resultados obtidos com o que já foi visto em livros anteriormente. Além disso, possibilitou aos alunos o conhecimento da técnica de venopunção a vácuo, que nem todos conheciam. A partir da aula prática perceberam-se as células sangu[neas nos seus mais diversos estados e meios. Quando colocadas em meio isotônico não se notou mudança alguma, as mesmas antiveram-se estáveis, sem alterações morfológicas.

Diferentemente do que ocorreu nos outros meios. No meio hipertônico notou-se o fenômeno de crenação, no qual os glóbulos vermelhos ficaram murchos provando que houve passagem de solvente do FIC para o FEC. Já em meio hipotônico, notou-se o fenômeno da hemólise, no qual se percebe um extravasamento da hemácia, consequência da passagem de solvente do FEC para o FIC, contemplando assim o objetivo do estudo. 7 REFERÊNCIAS INFO ESCOLA. Hemólise. Disponível em: http:nwww . infoescola. com/sangue/hemolise/. Ultimo acesso em: 20 mar. 2012.

Leave a Reply:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *